Comece agora com 10 dias grátis!

Assinar

Coaching: quando faz a diferença para colaborador e empresa

06 de Agosto de 2018

A palavra mudança sempre causa certa resistência para a maioria das pessoas. Seja na vida profissional ou pessoal, às vezes precisamos de uma mãozinha para sair do lugar comum.

E é esse o propósito do coaching: encontrar ações práticas que levem uma pessoa a desenvolver competências e aptidões pouco desenvolvidas ou que dificultam a entrega do resultado que ela precisa.

Gostou do assunto? Então continue a leitura e saiba muito mais sobre essa área!

O que significa o termo coaching?

Você sabe a diferença do coaching, coach e coachee? O primeiro corresponde ao processo de desenvolvimento da pessoa. Já segundo é quem desenvolve o processo. Ele pode ser um profissional da área ou um líder que tenha a característica de ajudar outras pessoas a desenvolverem competências. Já o coachee é o cliente do processo.

O interessante é que o coaching vem de uma expressão norte-americana que equivale a treinador. E por que tem muito a ver isso com o coaching pessoal ou profissional?

Porque, quando a gente fala em desenvolvimento de habilidades, é como exercitar um músculo. É preciso criar um plano de ação, treinar e colocar em prática várias vezes pra você se adaptar a trabalhar com aquela nova competência.

Motivos para investir no coaching

Como citado acima, existem duas modalidades, o coaching empresarial e o coaching pessoal. Ambos tem inúmeros benefícios e podem ter interseções.

“O coaching entra para ajudar no desenvolvimento de competências que vão fazer aquelas pessoas mudarem alguns comportamentos para que elas sejam de mais alta performance”, comenta o professor Bruno Villela de Andrade da Saint Paul.

Vamos explicar um pouco de cada modalidade.

  • Em relação ao coaching empresarial, Villela explica que a maioria dos problemas de desempenho dos colaboradores não está em problemas técnicos, mas em comportamentais. Um exemplo que Bruno fala é do líder que tem dificuldade para dizer não a sua equipe:

“O coach atua como desenvolvedor para ajudar esse profissional a saber dizer não para as equipes de uma forma mais estruturada, que vá resultar numa reforma dele e de sua equipe. Ele vai ajudar esse profissional a encontrar o caminho por si só, sem dar as respostas.”

  • Já no campo do coaching pessoal, ele pode contribuir para situações de lesão emocional. Por exemplo, uma pessoa que perde o controle quando está sob pressão:

“É uma competência a ser desenvolvida, porque não é saudável para aquela pessoa e nem os outros que estão próximos de que ela tenha aquela explosão emocional cada vez que acontece alguma coisa”, acrescenta o professor Vilella.

O processo de coaching está relacionado com o desenvolvimento humano. E não há melhor maneira de desenvolver o humano do que estimular o conhecimento e o encontro das respostas dentro delas próprias.

Independente da situação, pessoal ou profissional, quanto mais a pessoa se conhece, maior a probabilidade dela não ser vítima e, sim, protagonista de seu comportamento.

“Quando a gente fala da esfera do coach pessoal, muitas vezes o problema que a pessoa traz é relacionado com a sua família, ou relacionamento afetivo, ou de não saber como lidar com dinheiro. Já no trabalho, o problema pode ser com a equipe, ou não saber lidar com o chefe. Mas a maneira de desenvolver o processo de coaching é similar. É encontrar maneiras, através de ações práticas, para que a pessoa possa desenvolver skills que faltam para ela lidar com determinada situação. Então, a essência do trabalho é parecida, de desenvolver algo que precisa ser trabalhado de uma forma diferente”, conclui.

Procurar o profissional certo é ideal

Ao procurar um coaching, é essencial que a pessoa verifique se o profissional está credenciado no órgão que regulamenta a profissão, como o ICF (International Coaching Federation). Isso porque infelizmente o mercado tem muito oportunistas que dizem ser coachs, mas não têm a formação correta para isso.

Além disso, há situações que só o processo de coaching não é suficiente, sendo que a pessoa precisa buscar auxílio terapêutico para lidar com situações mais complexas.

O que achou de nosso artigo? Gostou de aprender mais sobre coaching pessoal e empresarial? Temos muito mais assuntos interessantes como este em nosso blog. Confira e até a próxima!

New call-to-action

  • compartilhe